O VERDADEIRO PAI DO METRÔ PAULISTANO

(4 de fevereiro de 2014) por Milton Parron

Foi em agosto de 1966 que o prefeito paulistano, brigadeiro Faria Lima, criou o GEM – Grupo Executivo do Metrô – concretizando com essa medida o sonho de seu antecessor, Prestes Maia, de construir linhas de metrô n a cidade de São Paulo. Poucas semanas depois da criação do GEM, o prefeito Faria Lima viajou […]

Continuar lendo

JATOS VOAM PELA PRIMEIRA VEZ SOBRE SÃO PAULO

(28 de janeiro de 2014) por Milton Parron

Sessenta e um anos decorridos e a FAB novamente terá parte de sua frota renovada com novos caças a jato. A primeira compra de jatos para a nossa força aérea ocorreu em 1952. Foi uma negociação muito mais rápida e extremamente vantajosa, do ponto de vista econômico. Em vez de pagar pelos 70 aviões Gloster […]

Continuar lendo

ADEUS PORTEIRA DO BRÁS

(21 de janeiro de 2014) por Milton Parron

Mês de janeiro sempre nos remete ao dia 25, data da fundação de São Paulo. Hoje uma metrópole que assusta não apenas pelo gigantismo populacional como, também, pelo volume de problemas que acumula principalmente no setor viário. Aliás, a questão da mobilidade urbana em São Paulo sempre existiu desde que os automóveis aqui chegaram no […]

Continuar lendo

“CARNE FRITA”, UMA LENDA NAS RODAS DE MALANDRAGEM

(14 de janeiro de 2014) por Milton Parron

Vamos refletir sobre a São Paulo boêmia dos anos 40, 50 e 60, tempo dos bondes, dos taxi dancing, bons cinemas e bons restaurantes anunciados em pomposos letreiros iluminados a gás de neon e, tempo ainda, de uma malandragem quase sempre associada a vagabundagem e muito raramente à violência. Não se tirava a vida das […]

Continuar lendo

MORREU A “PANTERA NEGRA”

(6 de janeiro de 2014) por Milton Parron

Causou grande consternação em Portugal, com forte repercussão também no Brasil, a notícia da morte de um dos maiores atletas do futebol mundial, Eusébio da Silva Ferreira, nascido em 1942 em Lourenço Marques, capital de Moçambique, à época uma colônia portuguesa. Eusébio, entre outras façanhas, foi o artilheiro do campeonato mundial de futebol realizado em […]

Continuar lendo

ÚLTIMA ENTREVISTA

(25 de dezembro de 2013) por Milton Parron

Até hoje o Brasil se ressente da ausência de Elis Regina, uma das mais fulgurantes estrelas da nossa imensa constelação de artistas. Ela morreu no dia 19 de janeiro de 1982, aos 36 anos de idade e seu corpo foi velado no antigo auditório da TV Bandeirantes, na rua Brigadeiro Luis Antonio. A última entrevista […]

Continuar lendo

CHICO E HÉLIO, AUDIÊNCIA TOTAL

(20 de dezembro de 2013) por Milton Parron

25 de outubro de 1976, exatamente ao meio dia, entrou no ar pela rádio Bandeirantes o programa “O Poder da Mensagem” com Hélio Ribeiro. A audiência de Hélio, que era extraordinária, naquele dia se superou. Nos estúdios repórteres e fotógrafos de jornais e revistas de grande circulação, se espremiam. Coisas do rádio daqueles tempos unindo […]

Continuar lendo

Do túnel do tempo: relembre a criação dos Titulares da Notícia

(9 de dezembro de 2013) por admin

Certamente um divisor de águas no jornalismo do rádio paulista foi a criação dos Titulares da Notícia na Rádio Bandeirantes, uma forma inovadora de transmitir os noticiários. Além da rigorosa seleção do conteúdo e redução do tamanho dos textos havia, também, a preocupação de tornar a notícia mais “leve” usando-se para isso o recurso da […]

Continuar lendo

CARLOS LACERDA, DEMOLIDOR DE PRESIDENTES

(2 de dezembro de 2013) por Milton Parron

Como se não bastasse a campanha que fez contra Getúlio Vargas culminando com seu suicídio, como também a série de acusações – que nunca provou – contra Jânio Quadros induzindo-o a renunciar ao cargo de presidente da República, a vítima seguinte de Carlos Lacerda, jornalista e à época governador da Guanabara, foi João Goulart. Semanas […]

Continuar lendo

MINEIRO DA CAMPANHA

(22 de novembro de 2013) por Milton Parron

Vital Brazil Mineiro da Campanha, nome estranho, ainda mais se sabendo que ele era mineiro nascido na cidade de Campanha. Explica-se a esquisitice pelo fato de que seu pai costumava homenagear as cidades colocando seus nomes nos filhos que nelas nasciam. Hoje as exigências cartoriais certamente impediriam esses registros, até para salvaguardar que no futuro […]

Continuar lendo