Arquiva no mês março, 2017

GALERIA DE ÁRBITROS FANFARRÕES

terça-feira, março 28th, 2017

AYRTON

O acervo do Centro de Documentação e Memória da Rádio Bandeirantes – Cedom – está recheado de cenas hilárias protagonizadas por árbitros de futebol. Os mais destacados, entre eles, foram Agomar Martins e Ayrton Vieira de Morais, apelidado de Sansão. Uma das cenas mais bizarras do futebol paulista foi num jogo no Parque São Jorge em 1965 entre Corinthians e Noroeste de Baurú, transmitido pela Bandeirantes com Domingos Leoni, comentários de Barbosa Filho e reportagens de Chico de Assis e Roberto Silva. Já estava 3 a 0 para o Corinthians quando o árbitro Ayrton Vieira de Moraes resolveu marcar um pênalti contra o time interiorano. O jogador Plínio correu para cima do bandeirinha reclamando um impedimento e recebeu como revide um murro que o levou a nocaute. O árbitro não pensou duas vezes e expulsou de campo o seu bandeirinha:

Outro barraco provocado por Ayrton Vieira de Moraes, o Sansão, ocorreu num amistoso entre as seleções do Brasil e do Chile no dia 26 de março de 1970. O Brasil vencia por 2 a 1 quando Sansão decidiu atrair os holofotes para si armando para isso a maior confusão em campo. Destaque para o trabalho irrepreensível do saudoso repórter da Bandeirantes, Roberto Silva:

Ayrton Vieira de Moraes era natural de Fortaleza e foi árbitro das Federações Paulista e Carioca de Futebol e também da então CBD, hoje CBF. Ele morreu em Niterói, aos 84 anos, no dia 29 de outubro de 2013.

FIDEL CASTRO, SEMPRE DÚBIO

terça-feira, março 21st, 2017

fidel

Fidel Castro, líder da revolução que derrubou o presidente cubano Fulgêncio Batista, em 1959, e que depois perpetuou-se no Poder, esteve no Brasil em várias ocasiões. Uma delas em março de 1990, dois anos antes das comemorações dos 500 anos da Descoberta da América. Foi sobre esse tema que ele falou ao visitar o Memorial da América Latina. Em meio ao silencio enquanto ele falava, um bebê resolveu chorar. Fidel Castro, sem se abalar, adicionou a manifestação do pequeno intruso nas suas reflexões. A Rádio Bandeirantes registrou tudo:

Esquisito, mas Fidel Castro passou a vida achincalhando os colonizadores sem se dar conta de que ele próprio explorou os cubanos, por meio de uma feroz ditadura, durante meio século. Sua visita ao Memorial da América Latina aconteceu há 27 anos. Foi no dia 17 de março de 1990, numa de suas passagens por São Paulo. Fidel morreu no ano passado, dia 25 de novembro, em Havana, aos 90 anos de idade.

ATRAÇÕES INTERNACIONAIS DA PRH-9

terça-feira, março 14th, 2017

 

CANARO E SUA TÍPICA

Na primeira metade da década de 50, a Rádio Bandeirantes promoveu temporadas inesquecíveis com astros da música pop internacional. Entre muitos, destaque para Gregório Barrios, Eládia Blasquez, Nicola Paone, Alfonso Ortiz Tirado, Trio Los Panchos, Hugo Del Carril, Pedro Vargas, Roberto Carlez, Amália Rodrigues e até a fabulosa orquestra típica do maestro argentino Francisco Canaro, ainda hoje reverenciada no mundo todo.
Canaro ficou cinco dias em São Paulo e despediu-se da turnê promovida pela Bandeirantes no dia 16 de março de 1953, ou seja, hoje está fazendo 64 anos desse evento:

Francisco Canaro é uma das maiores expressões do tango argentino, mas ele era uruguaio naturalizado argentino em 1940. Sem o interesse de criar animosidade, mas observa-se que algumas das maiores expressões do tango argentino são estrangeiras, a começar por Carlos Gardel seu maior intérprete, que era francês de nascimento. O compositor da maioria de seus sucessos, Alfredo Lepêra, era brasileiro, paulistano nascido no Bexiga; o autor do tango mais gravado e regravado no mundo, La Cumparsita, era uruguaio, Gerardo Matos Rodrigues como também era uruguaio Francisco Canaro. Uma mera observação.

A MOROSIDADE CONTINUA

terça-feira, março 7th, 2017

 

foto francis davis

Há decênios a população brasileira cobra agilidade do Poder Judiciário. Alega-se que uma das razões da morosidade é a falta de juízes. Para uma população que já ultrapassa 200 milhões de pessoas, existem apenas 16 mil juízes cada um deles produzindo em média 1.600 sentenças por ano, 4 por dia. Em São Paulo a situação não é diferente dos demais Estados. No dia 04 de março de 1994, o recém empossado presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Francis Selwin Davis, justificava os atrasos nas decisões processuais:

São 20 milhões de processos em tramitação no Estado sem falar naqueles que entram diariamente em quantidade bem acima dos que são concluídos. Por causa da absurda morosidade no Judiciário, muita gente continua não vendo sua demanda concluída porque morre antes disso. Pessoa muito querida, simples e respeitoso no trato com os humildes e os poderosos, Francis Davis não terminou seu mandato na presidência do TJ porque atingiu a idade limite em pleno exercício do cargo. Ele faleceu em agosto de 2013.