Arquiva no mês novembro, 2016

RELAXO HISTÓRICO

quarta-feira, novembro 30th, 2016

 

rosa-branca

 

Não é de hoje que o basquetebol brasileiro passa por dificuldades por culpa exclusiva da Confederação Brasileira de Basquetebol. E esse descaso já vem de longe bastando, para exemplificar, recorrer ao emblemático sexto campeonato mundial de Basquetebol realizado na Iugoslávia em maio de 1970, com total cobertura da Rádio Bandeirantes. Se dependesse dessa confederação o Brasil não teria nem mesmo participado. Enfrentando terríveis dificuldades de ordem administrativa, nossa seleção foi e fez bonito. O jogo final do nosso selecionado foi contra os Estados Unidos, no dia 24 de maio de 70. Ouçam, abaixo, o trecho final da narração do saudoso José Carlos Silva e suas observações sobre as condições precárias em que a nossa seleção participou daquele certame:

Da seleção que disputou o mundial de 1970, na Iugoslávia, participaram Ubiratan Wlamir, Rosa Branca (foto), José “Joi”, Menon, Mosquito, Edvar, Zé Olaio, Hélio Rubens, Macarrão, Pedrinho e Marquinhos.

CONCORRENTES JÁ FORAM PARCEIRAS

terça-feira, novembro 22nd, 2016

 

autolatina

Em 1987, Volkswagen e Ford anunciaram um acordo que formaria um gigante, teoricamente imbatível, nos mercados brasileiro e argentino. Esse gigante se chamava Autolatina e integrava as fábricas e operações das duas empresas. A ideia era compartilhar os custos e potencializar os pontos fortes de cada uma. No dia 24 de novembro de 1986, o então presidente da Volkswagen, Wolfgang Sauer, adiantou pelos microfones da Rádio Bandeirantes quais seriam os benefícios daquela fusão:


Com a Autolatina, as duas empresas passaram a ter operações conjuntas em diversos níveis, inclusive produtos compartilhados. A Volkswagen produzia os Ford Versailles e Ford Versailles Royale, que eram derivados dos Volkswagen Santana e Quantum, enquanto a Ford produzia os Volkswagen Logus e Pointer – derivados do Ford Escort. Outros carros também marcaram aquela parceria como o Ford Verona e o Volkswagen Apollo, este o maior fracasso da parceria. Por uma série de razões, incluindo os malogrados planos econômicos do governo, a fusão Volkswagen com a Ford terminou em 1996 com a consequente extinção da Autolatina.

MARTE, SEMPRE UMA EMOÇÃO EM DOBRO

quarta-feira, novembro 16th, 2016

 

marte

Felizmente são raros os acidentes com aeronaves que operam no campo de Marte, na zona norte de São Paulo. Em caso de pane nos momentos cruciais do voo, pouso e decolagem, por ser uma região densamente povoada o piloto tem pouquíssima chance de fazer um pouso de emergência com sucesso. Vez por outra isso ocorre, como em 1983 com um avião de pequeno porte que ao decolar com quatro pessoas a bordo sofreu uma parada de motor obrigando o piloto a tentar o pouso na movimentada rua Ataliba Leonel. O repórter Pedro Luis Ronco, da Rádio Bandeirantes, chegou ao pronto socorro de Santana no exato momento em que os ocupantes do avião eram atendidos.

 

O campo de Marte existe desde 1920, porém, a histórica enchente de 1929 mais a sua interdição em 1934, ordenada pelo presidente Getúlio Vargas como retaliação contra São Paulo, por causa da revolução constitucionalista de 32, tornaram o aeroporto inoperante até 1935. De lá decolaram os primeiros aviões da VASP para três passageiros apenas. Hoje o campo de Marte possui os mais avançados dispositivos que permitem operações seguras mesmo em condições adversas de tempo, incluindo balizamento noturno.

DE PROMESSA O POVO JÁ ANDA CHEIO

quarta-feira, novembro 9th, 2016

Presidente deposto morreu em 1976 na Argentina

Muitas empresas e pessoas físicas e jurídicas têm sido investigadas na Operação Lava Jato por envolvimento com esquemas de sonegação de impostos e evasão de divisas.

Esses crimes são praticados desde a época do Brasil Colônia e nos últimos tempos haviam até se banalizado. Em 1962, participando de um evento promovido pelos estudantes da Faculdade de Direito da USP, no Largo de São Francisco, o presidente da República, João Goulart (foto acima), chegou a ameaçar com prisão aqueles que se atrevessem a continuar não pagando seus impostos.

Político de oratória fácil, durante meia hora ele arrebatou a plateia de acadêmicos, professores e advogados criticando só uma das partes envolvidas, isto é, aqueles que não desejam pagar impostos. Mas nada falou sobre os governantes que usam tão mal o que arrecadam.

Ouça um trecho do discurso de João Goulart:

Cinquenta e quatro anos se passaram, governos e regimes de governo se alternaram, incluindo o estabelecimento de um longo período de ditadura militar, e a sonegação de impostos continuou.

Será que o juiz Sérgio Moro desta vez vai conseguir acabar com a farra?

PERDEM O PÊLO MAS NÃO PERDEM O VÍCIO

quarta-feira, novembro 2nd, 2016

 

juruna_acervo_camaradosdeputados

Os escândalos protagonizados por deputados e senadores são tão antigos quanto as duas Casas do Congresso. A diferença é que os de ontem provocariam hoje, quando muito, um sorriso benevolente do mais rigoroso dos magistrados, até porque os valores éticos e morais também foram se abrandando com o passar dos tempos. Um exemplo é a denúncia que o deputado indígena Mário Juruna fez da tribuna da Câmara no dia 25 de outubro de 1984 contra o deputado Paulo Maluf, que disputava com Tancredo Neves os votos do Colégio Eleitoral na eleição indireta para a presidência da República. Ao garantir que Calim Eid, coordenador da campanha de Maluf, tinha depositado 30 milhões de cruzeiros em sua conta para que não votasse em Tancredo, Juruna virou manchete em todo o Brasil:


A denúncia de Juruna não foi decisiva para a derrota de Maluf mas ajudou a aumentar a diferença dos votos em favor de Tancredo Neves: 480 a 180, ou seja, o mineiro foi eleito presidente da República com 72% contra 27% dos votos do Colégio Eleitoral. Será que hoje esse tipo de denúncia teria alguma repercussão?