Arquiva no mês janeiro, 2016

CONFUSÃO ESTÁ NO DNA DO AEROPORTO DE SP

terça-feira, janeiro 19th, 2016

INAUGURAÇÃO AEROPORTO GUARULHOS

Com as obras iniciadas em agosto de 1980 o aeroporto Internacional de Guarulhos foi inaugurado no dia 20 de janeiro de 1985 numa solenidade tumultuada por causa da truculência dos seguranças contra os jornalistas. O discurso de inauguração coube ao governador Franco Montoro, que hoje empresta seu nome àquele aeroporto:

O aeroporto Internacional Franco Montoro, em Guarulhos, é o maior do Brasil e o mais movimentado da América Latina em número de passageiros transportados. Em mercadorias é o segundo perdendo apenas para o aeroporto El Dorado, de Bogotá. Em fevereiro de 2012 o consórcio Invepar e Airports Company South Africa assumiu sua concessão por 30 anos adotando o nome GRU Airport.

DESFILES DE CARNAVAL DE ANTIGAMENTE

quinta-feira, janeiro 14th, 2016

geraldo_filme
Geraldo Filme de Souza – o Geraldão da Barra Funda é um dos raros sambistas que transitava pelos barracões de todas as escolas de samba de São Paulo e Rio de Janeiro, sendo tratado com respeito e carinho em todas elas. Compositor, cantor, ator, também escreveu peças em parceria com Plínio Marcos e deixou mais de 100 músicas escritas, muitas delas conhecidíssimas. Natural de São João da Boa Vista, veio menino prá Capital e muito cedo já desfilava nos blocos e cordões carnavalescos na década de 30. Fundador da escola de samba Paulistano da Glória, Geraldo Filme conhecia como poucos a história do carnaval de São Paulo. De um tempo em que as agremiações tinham dois sambas: um para o desfile e outro para o aquecimento das vozes e instrumentos, como me contou numa entrevista nos anos 70:

Geraldo Filme, um dos nomes mais importantes da história do carnaval de rua de São Paulo, faleceu em 1995, aos 68 anos de idade.

CANTORA DAS TRÊS RAÇAS

terça-feira, janeiro 5th, 2016

CLARA NUNES

Decorridos 32 anos de sua morte, Clara Nunes continua sendo uma das expoentes da música popular brasileira de todos os tempos. Foi a primeira cantora de nosso País a vender mais de 100 mil cópias quebrando um tabú segundo o qual mulheres não vendiam discos. Além de intérprete Clara também era pesquisadora incansável dos nossos rítmos e do nosso folclore. Viajou várias vezes à África para aprimorar seus conhecimentos sobre as danças e tradições afro-brasileiras. Acabou se integrando à umbanda e esse foi um dos assuntos que os apresentadores Edson Guerra, Cunha Neto e Antonio Celso abordaram com Clara Nunes quando ela veio aos estúdios da rádio Bandeirantes no dia 28 de dezembro de 1981:

Em março de 1983 Clara Nunes se submeteu a uma cirurgia de varizes, aparentemente simples, porém, sofreu reação alérgica a um componente do anestésico tendo uma parada cardíaca. Ficou internada durante 28 dias na UTI da Clínica São Vicente, no Rio de Janeiro, até que veio a falecer na madrugada do sábado de Aleluia, 02 de abril de 1983, pouco tempo antes de festejar o seu 41° aniversário de vida.