Arquiva no mês dezembro, 2015

CINQUENTENÁRIO DO REIDE HISTÓRICO

quarta-feira, dezembro 23rd, 2015

Ada Rogato

Ada Leda Rogato, paulistana, filha de italianos, foi a primeira pessoa, entre homens e mulheres, a obter licença de paraquedismo no Brasil. Também foi a primeira que conquistou o brevê para pilotar planadores; não satisfeita, a primeira pilota agrícola e foi a terceira mulher do Brasil que se habilitou para pilotar aviões, isso em 1935, depois de Thereza Marzo e Anésia Pinheiro, pela ordem.
Voando em aeronaves de pequeno porte, sempre sózinha, sua fama cresceu também no exterior a partir de 1950, graças à ousadia dos seus feitos:
• A primeira pilota brasileira a atravessar os Andes. Fez isso onze vezes, ida e volta.
• A única aviadora do mundo, até 1951, a cobrir uma extensão de 51.064 km em voo solitário pelas três Américas, chegando até o Alasca.
• A primeiro pilota, entre homens e mulheres, a cruzar a selva amazônica – o temido “inferno verde” – em um pequeno avião, sem rádio, em voo solitário, apenas com uma bússola. Ela decolou de Congonhas para esse destemido vôo no dia 04 de julho de 1956 e lá estavam as mais altas autoridades civis, militares e eclesiásticas, como se dizia antigamente. Também lá estava a Bandeirantes, claro, ouvindo todo mundo, inclusive o Cardeal Arcebispo Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Mota:

As conquistas de Ada Rogato encheriam um livro. Com seu pequeno Cessna, denominado Brasileirinho, ela foi à Terra do Fogo, ao Alasca, Círculo Ártico, a todos os países das 3 Américas e inúmeras vezes às tribos indígenas do Mato Grosso e da Amazônia levando remédios e médicos em vôos extremamente temerários. Uma mulher de fibra,solteira, sem filhos, que trabalhava para viver como funcionária pública na Secretaria de Esportes e Turismo de SP onde se aposentou em 1980. Ada morreu vítima de câncer em novembro de 1986, aos 76 anos de idade.

REFINARIA SEXAGENÁRIA

quinta-feira, dezembro 17th, 2015

Inauguração da RPBC

A língua de fogo que brota de uma chaminé visível de muito longe, à esquerda da via Anchieta, trecho da Baixada, no sentido de Santos, é da refinaria Presidente Bernardes a primeira de grande porte construída pouco tempo depois da criação da Petrobras. Quando foi inaugurada, ela era responsável por 50% do mercado nacional e hoje abastece pouco menos de 10%, sendo uma unidade com alta capacidade de conversão produzindo dezenas de derivados de petróleo de padrão internacional. Quem esteve em Cubatão para a sua inauguração, no dia 16 de abril de 1955, foi o presidente da República João Café Filho e a rádio Bandeirantes, que transmitiu ao vivo, guardou no seu Centro de Documentação e Memória – CEDOM – todos os discursos proferidos na ocasião. Ouça, abaixo, um trecho do que disse o presidente Café Filho naquele momento histórico::

Café Filho, o único presidente da República potiguar e o primeiro protestante a ocupar a chefia de governo no Brasil, tinha sido eleito vice na chapa de Getúlio Vargas e com o suicídio deste, em agosto de 1954, Café assumiu a presidência cargo que desempenhou até novembro do ano seguinte. Por motivo de doença, até hoje mal explicada, foi afastado das funções assumindo o lugar o presidente da Câmara Carlos Luz que também não esquentou a cadeira sendo deposto alguns dias depois. Finalmente Juscelino Kubitscheck, eleito pelo povo, assumiu o governo no dia 31 de janeiro de 1956 tendo de enfrentar a resistência de alguns militares matreiros que não queriam a sua posse. Café Filho morreu em 1970..

FAZ DE CONTA….

sexta-feira, dezembro 11th, 2015

LUIZ CARLOS PRESTES

Olga Benário, jovem militante comunista alemã de origem judaica, era casada com o líder comunista brasileiro Luis Carlos Prestes. A polícia política da ditadura Getúlio Vargas, chefiada pelo famigerado Filinto Muller, numa operação espetaculosa prendeu Prestes e sua mulher Olga que alguns dias depois foi deportada para a Alemanha onde os nazistas a executaram no campo de extermínio de Bemburg em 1942.
Oito anos, depois, Luis Carlos Prestes vai a vários comícios para pedir votos dos comunistas à quem?

A política, diz a sabedoria popular, é a arte da dissimulação. Talvez isso explique a aliança de Luis Carlos Prestes com Getúlio Vargas que foi o responsável direto pelo envio da mulher de Prestes aos campos de concentração nazistas onde acabou sendo executada.
Posições políticas controversas de Luis Carlos Prestes nunca foram bem exploradas por aqueles que o entrevistaram. Perguntei a ele sobre esse assunto certa vez na USP, onde tinha ido para fazer uma palestra, e sua resposta não me animou a prosseguir: “o senhor me faz questionamentos sem embasamento, portanto não lhe devo respostas”.
Primeiras eleições para os governos estaduais após a ditadura Vargas marcadas para janeiro de 1947. Poucos dias antes, Prestes resolve descarregar baterias contra o candidato ao governo de São Paulo, Adhemar de Barros:


Adhemar foi eleito mesmo sofrendo forte campanha contrária orquestrada por Luis Carlos Prestes. Onze anos mais tarde Adhemar torna a se candidatar ao governo de São Paulo nas eleições de outubro de 1958. O que fez Luis Carlos Prestes?

Como se vê, posições firmes e imutáveis não são as características das carreiras dos políticos em geral.

O CAÇADOR DE ESMERALDAS

quinta-feira, dezembro 3rd, 2015
Fernão Dias

Fernão Dias

De todos os bandeirantes, Fernão Dias Paes Leme é o que detém o maior número de expedições desbravando os nossos sertões desde 1638 quando integrou a bandeira de Raposo Tavares, alargando fronteiras e abrindo os caminhos em direção ao Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.
Em 1671 recebeu ordens do governador Afonso Furtado de Castro para penetrar no sertão em busca das esmeraldas da serra de Sabarabuçu, MG, e depois de 3 anos, quando já tinha 66 anos de idade, iniciou sua marcha para localizar aquelas pedras. Foram 7 anos embrenhado nas matas comandando 600 homens – a maioria índios.
A bandeira de Paes Leme atrás das esmeraldas, além de verdadeira, é uma das mais fascinantes aventuras registradas no período do Brasil colônia.
Em tempos mais recentes – 1978 – o saudoso dramaturgo, compositor, professor, radialista Chico de Assis fez a radiofonização, com texto próprio, daquela epopeia à qual denominou CAÇADORES DE ESMERALDAS. Tenho em meus arquivos uma cópia desse trabalho que me foi entregue, certo dia, na USP, pelo próprio Chico de Assis. Uma produção exuberante do rádio!
Um dos momentos mais fortes dessa radiofonização é quando Fernão Dias Paes Leme manda enforcar um de seus dois filhos, ambos estavam na expedição e um deles liderou uma sublevação:

Contracenaram, entre outros, Rodolfo Mayer, Paulo Goulart, Jayme Barcelos, Carlos Alberto Ricceli, Ednei Geovanazzi, César Monteclaro, Lia de Aguiar, Lilian Lemmertz, Bruna Lombardi e vários outros. Quem quiser ouvir a teatralização completa da bandeira de Paes Leme em busca das esmeraldas, basta sintonizar o programa Memória, sábado dia 05 as 23 horas ou no domingo, dia 06, as 05 horas da manhã em 840 AM ou 90.9 FM.