Arquiva no mês julho, 2014

HÉLIO RIBEIRO HOMENAGEIA AGOSTINHO DOS SANTOS

quarta-feira, julho 30th, 2014
Agostinho dos Santos

Agostinho dos Santos

No mês de junho de 1973 ocorreu um dos mais pavorosos acidentes aéreos envolvendo aeronave brasileira deixando um saldo de 123 mortos e 11 feridos, 10 deles eram tripulantes. Um incêndio originado por ponta de cigarro aceso jogado na papeleira do banheiro de bordo espalhou-se com grande rapidez tomando conta de toda a aeronave obrigando o comandante Gilberto Araújo da Silva a fazer um pouso forçado num campo de plantação de cebolas a apenas 4 quilômetros do aeroporto de Orly, destino do vôo. Entre os mortos, todos eles intoxicados pela fumaça, estava o cantor Agostinho dos Santos cuja memória foi reverenciada no dia seguinte pelo apresentador Hélio Ribeiro em seu programa, Correspondente Musical, pela rádio Bandeirantes:

Além de Agostinho dos Santos também morreram naquele acidente outras pessoas famosas, entre elas o presidente do Senado Federal Filinto Müller, a socialite Regina Lecléry, o iatista Jörg Bruder e os jornalistas Júlio Delamare e Antonio Carlos Scavone.

ARMANDINHO ERA PARTE DO ESPETÁCULO

terça-feira, julho 22nd, 2014

Armando Marques

Faleceu dia destes o mais famoso árbitro de futebol do Brasil, Armando Marques, que estava com 84 anos de idade. Ele não foi apenas um ótimo mediador como também criou um estilo de apitar jogos até hoje não igualado. Com uniforme impecavelmente passado, cabelos penteados e fixados a gel como se fosse à uma festa de gala, assim Armando, ou Armandinho como gritava o público, entrava em campo para arbitrar as partidas. Para ele não havia distinção entre clássicos, jogos decisivos ou simples amistosos de equipes menores, o ritual era sempre o mesmo elegância e bom visual acima de tudo. Aliás, o mesmo exigia dos jogadores reprimindo aqueles que estivessem com meias baixadas ou camisa fora do calção. Era espalhafatoso, teatral mesmo, nos gestos apontando as faltas. Mas não se pode negar que foi um dos melhores árbitros de futebol do Brasil em todos os tempos. Assim como Gilmar dos Santos Neves é a referencia quando se quer elogiar um bom goleiro, Armando Marques é a adjetivação máxima para se elogiar uma arbitragem excepcional. Mas era polêmico ao extremo, criava com certa constância situações desnecessárias e não fazia segredo quando algum fato o desagradava botando logo a boca no mundo não importando a quem atingisse as suas declarações. Para ilustrar, dos arquivos do CEDOM, destaco um jogo realizado no dia 07 de dezembro de 1967, decisivo pelo campeonato paulista da primeira divisão entre Paulista de Jundiaí e Ferroviário de Araçatuba, no Pacaembú. Antes de começar o jogo, no centro do campo, Armando resolveu expor sua contrariedade ao tomar as dores de dirigentes esportivos que estavam sendo acusados de “ladroeira” – novidade! Além disso, implicou-se com o uniforme do Ferroviário, único levado para o jogo. Buscar outro na sede do clube era impossível, afinal Araçatuba está muito distante da Capital:

O jogo Paulista de Jundiai x Ferroviário de Araçatuba foi vencido pelo primeiro, por 2 a 0. O repórter da rádio Bandeirantes escalado naquela tarde foi Luis Augusto Maltoni e a narração de Borghi Júnior. Armando Marques, agora uma saudade, deixou um grande vazio nos campos de futebol.

.

VENCEDOR!

terça-feira, julho 15th, 2014

MAGUILA

Dia 15 de julho de 1989 o Brasil inteiro se ligou na TV Bandeirantes para acompanhar um ex-servente de pedreiro que galgara o mais alto andaime de sua vida dando murros em uma nova profissão, o pugilismo. Com 39 lutas em seu cartel, vencedor em 37 delas, campeão brasileiro e sulamericano, havia chegado o momento de José Adilson Rodrigues dos Santos, o Maguila, aspirar a disputa do título mundial que estava em poder de Mike Tyson, porém, antes, seria necessário vencer outro aspirante ao título, o temível Evander Hollyfield. A luta realizou-se em Lake Tahoe, EUA, transmitida pelo saudoso Luciano do Valle. O primeiro round foi equilibrado com Maguila tomando as iniciativas. No segundo, seu treinador, o mítico Angelo Dundee, que já havia treinado Muhammad Ali e Sugar Ray Leonard, orientou que Maguila partisse com mais força sobre Hollyfield e esse foi seu erro:

Um ano mais tarde, junho de 1990, outra parada indigesta foi programada para Adilson Maguila, desta vez contra George Foremann, duas vezes campeão mundial e considerado um dos vinte maiores pugilistas de todos os tempos. Na luta, também realizada nos EUA, Maguila foi à lona, novamente no segundo round. Ao retornar ao Brasil pelos microfones da rádio Bandeirantes, ouvido pelo repórter Amorim Filho, Maguila demonstrava estar cheio de moral, apesar da derrota:

Foram 85 lutas em toda a sua carreira com 77 vitórias, 61 por nocaute. Em 2010 os médicos diagnosticaram que esse bravo sergipano, nascido em Aracajú em 1958, estava com mal de Alzheimer. Foi o único nocaute que impediu que ele se levantasse. Maguila é um exemplo de coragem e tenacidade que merece o respeito de todos nós!

PRECURSOR DA BOSSA NOVA

quarta-feira, julho 9th, 2014
DICK FARNEY

DICK FARNEY

Dick Farney, cujo nome verdadeiro era Farnésio Dutra e Silva, e, convenhamos, a troca de nome foi providencial para o sucesso artístico, era carioca e integrou a chamada constelação de ouro do rádio onde estreou como calouro em 1937 na “Hora da Ginástica” da rádio Cruzeiro do Sul do Rio de Janeiro. Entre 1941 e 1944 foi crooner da famosa orquestra de Carlos Machado que era contratada exclusiva do Cassino da Urca.
Cantor de estilo intimista, Dick é considerado um dos precursores da bossa nova tendo sido, nas décadas de 50 e 60, atração contínua nas boites mais famosas do eixo Rio-São Paulo.
Em dezembro de 1981 Dick Farney esteve nos estúdios da rádio Bandeirantes participando do programa Manhã Bandeirantes que à época era apresentado por Antonio Celso:


Dick Farney, cantor, compositor e pianista, faleceu em agosto de 1987, aos 66 anos de idade.

ÚNICO BRASILEIRO INDICADO QUATRO VEZES AO NOBEL

quarta-feira, julho 2nd, 2014

DOM HELDER PESSOA CÂMARA

DOM HELDER PESSOA CÂMARA


Dom Helder Pessoa Câmara, nascido em Fortaleza, Ceará, em 1909, bispo católico, arcebispo emérito de Olinda e Recife, foi um dos fundadores da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Pessoa extremamente simples e dotada de grandes dotes morais, era admirado e respeitado por todos tendo sido um defensor intransigente dos direitos humanos durante o regime militar vigente no Brasil a partir de 1964. Pregava uma Igreja simples, voltada para os pobres e a não violencia. Por sua atuação, recebeu diversos prêmios nacionais e internacionais. Foi o único brasileiro indicado quatro vezes para o Prêmio Nobel da Paz.

Nas comemorações do Natal, em 1995, ele participou de um programa especial da rádio Bandeirantes falando sobre um de seus temas favoritos:

Dom Helder Pessoa Câmara, ao completar 75 anos de idade, renunciou às suas funções no comando da Arquidiocese de Olinda e Recife passando-as a Dom José Cardoso Sobrinho. Morreu no Recife, no dia 27 de agosto de 1999, mas até hoje permanece na lembrança do povo por sua tenaz luta em favor da solidariedade e da justiça social.
.