Arquiva no mês dezembro, 2013

ÚLTIMA ENTREVISTA

quarta-feira, dezembro 25th, 2013
Elis Regina

Elis Regina

Até hoje o Brasil se ressente da ausência de Elis Regina, uma das mais fulgurantes estrelas da nossa imensa constelação de artistas.
Ela morreu no dia 19 de janeiro de 1982, aos 36 anos de idade e seu corpo foi velado no antigo auditório da TV Bandeirantes, na rua Brigadeiro Luis Antonio. A última entrevista de Elis foi ao programa Jogo da Verdade, da TV Cultura, comandado por Salomão Ésper:

CHICO E HÉLIO, AUDIÊNCIA TOTAL

sexta-feira, dezembro 20th, 2013
Chico e Hélio

Chico e Hélio

25 de outubro de 1976, exatamente ao meio dia, entrou no ar pela rádio Bandeirantes o programa “O Poder da Mensagem” com Hélio Ribeiro. A audiência de Hélio, que era extraordinária, naquele dia se superou. Nos estúdios repórteres e fotógrafos de jornais e revistas de grande circulação, se espremiam. Coisas do rádio daqueles tempos unindo a força do veículo com a inteligência dos que o dirigiam. O entrevistado de Hélio Ribeiro era Chico Anísio que vivia um momento esplendoroso de sua carreira e sua presença no programa deu-se em função de uma grande polêmica causada por Roberval Taylor, um tipo caricato criado por Chico, imitando um locutor de rádio e, se dizia, que o espelho desse personagem tinha sido Hélio Ribeiro:

Ainda hoje, quase 40 anos decorridos, Roberval Taylor é um personagem, criado por Chico Anísio, do qual todos se lembram, e, o mais incrível, continua associado à figura do extraordinário Hélio Ribeiro que, embora falecido há cerca de 15 anos, é o ausente mais presente entre todos os profissionais que atuaram no rádio paulista nos últimos 50 anos.

Do túnel do tempo: relembre a criação dos Titulares da Notícia

segunda-feira, dezembro 9th, 2013

Certamente um divisor de águas no jornalismo do rádio paulista foi a criação dos Titulares da Notícia na Rádio Bandeirantes, uma forma inovadora de transmitir os noticiários. Além da rigorosa seleção do conteúdo e redução do tamanho dos textos havia, também, a preocupação de tornar a notícia mais “leve” usando-se para isso o recurso da sonoplastia. O jornalista Walter Sampaio, organizador do departamento de jornalismo da Bandeirantes em 1953, embora já tendo deixado a emissora na década de 1960 quando foi implantada a novidade, de certa forma teve participação na criação dos Titulares da Notícia:

 

A inovação começou pelo canto do uirapuru, uma ave extremamente rara, escolhido para substituir as tradicionais marchas e dobrados militares que eram utilizados como prefixos de abertura, encerramento e passagens dos noticiosos radiofônicos de todas as emissoras de rádio do Brasil.

CARLOS LACERDA, DEMOLIDOR DE PRESIDENTES

segunda-feira, dezembro 2nd, 2013
Carlos Lacerda

Carlos Lacerda

Como se não bastasse a campanha que fez contra Getúlio Vargas culminando com seu suicídio, como também a série de acusações – que nunca provou – contra Jânio Quadros induzindo-o a renunciar ao cargo de presidente da República, a vítima seguinte de Carlos Lacerda, jornalista e à época governador da Guanabara, foi João Goulart. Semanas à fio desencadeou um verdadeiro bombardeio de acusações contra Jango e, por fim, articulou-se com outras lideranças políticas para tramar a derrubada do presidente. Na ante véspera do golpe militar de 31 de março de 1964, Lacerda, por uma cadeia de emissoras de rádio de seu Estado, fez um longo e duro pronunciamento que não apenas abreviou o mandato de João Goulart como, também, encerrou sua carreira política:

Para completar o golpe, o presidente do senado, Auro Soares de Moura Andrade, convocou uma sessão extraordinária das duas casas do congresso para comunicar aos parlamentares que o presidente João Goulart havia deixado a presidência da República e viajado com destino incerto o que não correspondia à verdade uma vez que todos sabiam que ele tinha embarcado para Porto Alegre. No contexto em que a comunicação foi feita naquela tumultuada sessão do congresso, num momento em que ocorria forte cisão no seio das forças armadas, os objetivos dos golpistas foram plenamente atingidos porque eles sabiam que João Goulart acabaria cedendo para não provocar uma guerra civil. Foi o que aconteceu.