Arquiva no mês outubro, 2012

Ainda sobre as eleições de 1989

quarta-feira, outubro 31st, 2012

Roberto Marinho

Silvio Santos

Uma figura marcante nas eleições para a presidência da República, em 1989, foi o gaúcho Leonel Brizzola. Tendo sido prefeito de Porto Alegre, governador do Rio Grande do Sul, e, mais tarde também do Rio, assim como ministro e deputado estadual e federal, Brizzola unia a experiência com a vantagem da rapidez de raciocínio e mais a oralidade que lhe era nata, para ser sempre o alvo das atenções em qualquer evento.
Suas respostas vinham de pronto, e quase sempre carregadas de sarcasmo. No dia 21 de outubro de 1989, após comício no largo 13 de Maio, em Santo Amaro, ele foi entrevistado por Newton Flora, da rádio Bandeirantes e saiu-se com uma de suas pérolas:

http://<a href="http://

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

“>webcast.sambatech.com.br/802E76/origin1/account/65/14/2012-10-31/audio/2dbad3662227ea230250eb6aa9f350ee/BLOG_3_BRIZOLA.mp3″>webcast.sambatech.com.br/802E76/origin1/account/65/14/2012-10-31/audio/2dbad3662227ea230250eb6aa9f350ee/BLOG_3_BRIZOLA.mp3

Apesar de carismático, Brizzola nunca conseguiu sensibilizar o eleitorado a nível nacional. Era um político muito mais regional, tendo grande popularidade junto aos eleitores nos dois Estados pelos quais se elegeu governador, inicialmente do Rio Grande do Sul, em 1959, mais tarde do Estado do Rio em 1983 sendo reeleito em 1991, único político brasileiro que se elegeu governador por dois Estados diferentes. Leonel Brizzola, que era natural de Carazinho, RGS, morreu aos 82 anos de idade, no dia 21 de junho de 2004 e, sem ele, a crônica política perdeu muito do seu sabor.

Ética às avessas- II

segunda-feira, outubro 22nd, 2012

Presidente José Sarney

Na campanha presidencial de 1989, depois de receber uma saraivada de agressões de Fernando Collor de Melo, o então presidente da República, José Sarney, que nem mesmo era candidato, recorreu à Justiça Eleitoral e teve garantido o direito de responder ao ofensor, no mesmo espaço utilizado por ele no rádio e na televisão. A resposta foi veiculada no dia 07 de novembro de 1989:

http://

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Ao final do festival de baixarias, que foi a tônica daquela campanha, Fernando Collor de Melo venceu as eleições, porém não concluiu seu mandato. Com denúncias de desvio de verbas de campanha promovida pelo próprio coordenador, PC Farias, acusação feita pelo irmão do presidente, Pedro, os fatos tomaram tamanho vulto que não restou outra saída ao chefe da nação que não fosse a renúncia para não sofrer o impeachment.

Ética ás avessas – I

segunda-feira, outubro 15th, 2012


As batalhas eleitorais no Brasil tem sido marcadas, ao longo da história, por acusações, destemperos, agressões verbais e calúnias. Porém, como na campanha presidencial de 1989, poucas vezes se repetiu nível tão baixo, tão chulo, tão desrespeitoso. Para ilustrar, recordem o que disse num showmício na zona leste de São Paulo o candidato Fernando Collor de Melo:

http://

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Não satisfeito, Fernando Collor de Melo determinou que o trecho onde ele agredia com expressões vulgares àquele a quem pretendia suceder, fosse editado e apresentado no horário da propaganda eleitoral de seu partido, o PRN.
É evidente que o presidente da República, José Sarney, recorreu à Justiça e esta lhe deu ganho de causa.

Só para ver quem tem razão

terça-feira, outubro 9th, 2012

Francisco Cuoco e Rosamaria Murtinho


Esse era o título de um programete, espécie de novelinha, de apenas 5 minutos de duração, que as emissoras da Cadeia Verde Amarela Norte Sul do Brasil, capitaneadas pela rádio Bandeirantes AM, veicularam em 1979. Era produzido pelo estúdio Free, São Paulo, diário e tinha 5 minutos de duração, com começo, meio e fim. Os intérpretes eram Francisco Cuoco e Rosamaria Murtinho formando um casal sempre às voltas com situações ora improváveis, ora curiosas e, por vezes, românticas. A tônica entre cada situação, era o bom humor. Clique abaixo para ouvir o capítulo que foi ao ar no dia 04 de março de 1979, onde o marido fingindo coragem tenta acalmar a esposa medrosa que ia viajar de avião pela primeira vez. Já no ar, tudo se inverte.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Brasil é elogiado pela organização do mundial de 50

quarta-feira, outubro 3rd, 2012

Brasil e Uruguai 1950


As recordações do Mundial de 50 são péssimas para os brasileiros. Perdemos o título da competição em nossa própria casa e, o que é muito pior, na condição de francos favoritos após uma brilhante campanha. Os uruguaios foram os vencedores e no mesmo começo de noite, logo após o final da partida, embarcaram de volta ao seu País.

Já era começo da madrugada quando os jogadores desfilaram em carro aberto no estádio Centenário, aplaudidos por uma multidão. Os locutores das emissoras de rádio já estavam roucos pela longa jornada no ar. Pela rádio Sport, em cadeia com outras estações de Montevidéu, um gesto bonito e muito tocante ocorreu no momento em que homenagearam o Brasil pela organização do mundial e pelo comportamento de nossa seleção que, mesmo perdendo, não apelou para a violência em momento algum.

Dos meus arquivos particulares ouça alguns minutos de duas horas e meia daquela histórica cobertura do rádio uruguaio:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Oxalá em 2014 ocorra a mesma organização, porém, com um futebol mais objetivo.