http://blogs.band.com.br/marcondesbrito

Sidebar
26
DE janeiro
DE 2012

Kaká perde boa chance de mostrar que ainda é Kaká

postado por Marcondes Brito em Futebol

26
DE janeiro
DE 2012
29

Comentários

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Loading ... Loading ...

O Real Madrid continua sendo um freguês do Barcelona. Ontem foi eliminado da Copa do Rey, mas saiu do Camp Nou festejando o heróico empate que conseguiu, após estar perdendo por 2×0.
Mas o jogo teve um ingrediente especial para Kaká. Pela primeira vez ele foi escalado como titular para o grande clássico espanhol. Para quem (como eu) acusa José Mourinho de uma sistemática má-vontade com Kaká, seria, por certo, uma extraordinária oportunidade de o atacante brasileiro mostrar o seu valor, justificar os 65 milhões de euros que o Real gastou para  tirá-lo do Milan.
Só que Kaká não aproveitou a chance, não jogou bem. Pelo contrário: com ele em campo, o Real Madrid era dominado pelo Barça, que vencia por 2×0 e poderia ampliar. E foi bombardeado pela midia. Alfredo Relaño,  redator-chefe do jornal Ás, por exemplo, abriu seu comentário com o título: “Com os bons em campo, o Madrid pode” (foto abaixo).
Referia-se às mudanças feitas por Mourinho na metade do segundo tempo. Sairam Özil e Kaká e entraram Benzema e Callejón.  A história do jogo mudou completamente. Cristiano Ronaldo diminuiu e Benzema empatou. Por pouco não houve uma “remontada” como dizem os espanhóis quando se referem a uma virada no placar.
Dias atrás, o comentarista Tostão tentou encontrar uma resposta em sua coluna na Folha para urucubaca que acompanha os passos de Kaká na Espanha. Disse ele:
“O motivo principal de Kaká não fazer sucesso no Real Madrid não é sua forma técnica e física. É a disputa com outros jogadores do mesmo nível. Kaká já tem condições de ser estrela da seleção e de qualquer time, fora Real e Barcelona”.
Ouso discordar do genial Tostão por uma razão muito simples: é inexplicável que o quase desconhecido meia Callejón consiga jogar mais e melhor do que Kaká nessa engrenagem do Real.
Jose María Callejón Bueno, jogador de 24 anos, revelado no próprio Real, andou emprestado ao Espanyol (voltou há pouco para Madrid) é aquele jogador quase sem currículo – comparando-o naturalmente a ex-melhor do mundo Kaká. Atuou 4 vezes pela seleção sub-20 do seu país, nunca despertou interesse dos holofotes da mídia. Jamais teve seu nome cogitado para a seleção principal.
Como diabos um atacante meia-boca como esse é capaz de ser mais útil e efetivo do que Kaká?
Só sendo coisa do diabo mesmo. Não há explicação.  ,,

26
DE janeiro
DE 2012

SP e  Corinthians 100%. E o Palmeiras continua o mesmo

postado por Marcondes Brito em Futebol

26
DE janeiro
DE 2012
64

Comentários

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Loading ... Loading ...

O Paulistão 2012 já começou a mostrar quem é quem. O São Paulo, totalmente reformulado e muito motivado pelo velho Leão, ganhou duas seguidas, assim como o Corinthians, que, desta vez, não precisou fazer a torcida sofrer. Só o Palmeiras continua o mesmo. Não mudou nada, nem no elenco, nem nas suas infindáveis brigas internas. O mundo está pegando fogo no Palestra e isso, queiram ou não, afeta o time. E dê graças a Deus por ter conseguido empatar ontem com a Lusa.
Vi o São Paulo jogar contra um campo encharcado e mostrar que pode ser feliz em 2012. Começo a acreditar que havia mesmo grupinhos e complôs naquele elenco do ano passado em que nada funcionava. O time atual é muito mais solidário. Deve melhorar ainda mais com a entrada de Jadson e quando Luis Fabiano resolver fazer gols.
O Corinthians, que deu um susto na estréia contra o Mirassol, ontem venceu o Guará com mais tranquilidade. Ainda precisa de reforços? Precisa, sim. Mas o  melhor deles já está lá, é o Imperador Adriano. Dificil é fazê-lo emagrecer convencê-lo a voltar a comportar-se como atleta profissional. Outra coisa: é preciso ter coragem para saber aproveitar essa garotada que ganhou a Copa SP. Tem gente ali muito melhor do que Ramirez – só pra citar um dos muitos gringos que enganam hoje por aqui.
E o Palmeiras? Bem, vai ter aí uma reunião com o COF, o conselho que valida as ações da diretoria administrativa. Li hoje cedo em alguns jornais que vão pedir a cabeça de Roberto Frizzo e que o presidente Arnaldo Sem Pulso Tirone rebateu: “É mais fácil eu sair do que ele”.
Cá entre nós, está faltando comando no Palmeiras. Alguém que tenha peito para enquadrar Frizzo, Felipão e Valdivia, esse elemento desagregador que passou a semana falando bobagens e ontem não jogou um centavo de futebol.
Ainda cá entre nós: está faltando no Palmeiras um cartola estilo Juvenal Juvêncio ou mesmo um Andrés Sanchez.


Criação de Sites e Comunicação Digital: Agência Qualitare