Blog do Follador – O Cara da Previdência

nov/11

17

Previdência Social quebra sim

A Argentina, quando estava quebrada, há alguns anos, reduziu as aposentadorias em 50%. De um mês para o outro, os velhinhos de lá tiveram que se virar com metade do que ganhavam. Dizia-se que isso só acontecia no terceiro mundo.

Eu sempre alertei que qualquer país que trate com desdém a sua previdência social corre o risco de inviabilizá-la.

Pois agora a Grécia, país da zona do euro, primeiro mundo, cortou em 20% as aposentadorias acima de € 1,2 mil mensais e 40% das aposentadorias acima de € 1 mil pagas a aposentados com menos de 55 anos.

Pior: já tinha cortado os salários de 30 mil servidores públicos, gente que ainda produz, em 40% em 2.011.

É isso aí, quando um país quebra, quem paga primeiro são os trabalhadores.

Vivemos um momento econômico especial no Brasil. Acho que a crise vai nos beneficiar, pois aqui ainda é um eldorado para investimentos e muita grana do exterior ainda virá para investimentos no setor produtivo.

Isso significa mais emprego e melhor renda.

Já que vai sobrar um dinheirinho, que tal fazer uma previdência privada para não apostar o futuro só no INSS. Quando a colheita é farta, o bom semeador armazena para nunca faltar.

Nenhuma tag

7 comentários

  • Jorge Moacyr, Florianópolis. · 17 de novembro de 2011 às 12:39

    REF. PREVIDÊNCIA SOCIAL / FATOR PREVIDENCIÁRIO.

    O atual Fator Previdenciário reduz indevidamente as aposentadorias dos trabalhadores que completam 35 anos de contribuição aos 60 de idade.

    O Fator Previdenciário incide somente sobre as aposentadorias dos trabalhadores do regime geral.

    O Fator Previdenciário faz com que os mais pobres que iniciam cedo no mercado de trabalho tenham que contribuir por mais tempo.

    O Fator Previdenciário leva em conta a expectativa de vida das mulheres ao calcular a aposentadoria dos homens.

    O Fator Previdenciário diminui muito as aposentadorias dos que completam o tempo de contribuição exigido e por motivo de emprego e/ou saúde debilitada não possuem mais a capacidade contributiva.

    O Fator Previdenciário prejudica mais as mulheres, e as pessoas que aniversariam em dezembro.

    O Fator Previdenciário pode fazer com que uma trabalhadora que se aposenta após 30 anos de contribuição receba menos do que as que se aposentam por idade com apenas 15 de contribuição.

    O Fator Previdenciário já foi julgado inconstitucional por apresentar enorme complexidade.

    O Fator Previdenciário induz as pessoas a se aposentarem enquanto trabalham, para somar as rendas, buscando depois a desaposentadoria.

    O Fator Previdenciário não mais estimula as pessoas a se aposentarem com idade adequada.

  • Jorge Moacyr, Florianópolis. · 17 de novembro de 2011 às 12:41

    SUGESTÕES DE ALTERNATIVAS AO FATOR PREVIDENCIÁRIO.

    ALTERNATIVA A)
    Substituição do Fator Previdenciário pelo *Fator Incentivo.
    *facultativo aos que completam o tempo de contribuição e desejarem postergar a aposentadoria, recebendo por isto um bônus para cada ano a mais de contribuição.

    ALTERNATIVA B)
    Substituição do Fator Previdenciário pela Soma da Idade com o Tempo de Contribuição do seguinte modo:
    80M/85H = Fator 0,90
    85M/90H = Fator 1,00
    90M/95H = Fator 1,10

  • Carlos · 20 de novembro de 2011 às 18:40

    Sou a favor da previdencia privada como opção, não como obrigação.

    A previdencia na Argentina está assim devido ao ex-presidente Menen ter privatizado o Sistema, e não deu certo. Aliás, na época ele foi tido como exemplo na América Latina devido as suas privatizações que também em muitos casos não deu certo.

    Agora a previdencia na Argentina está sendo reestatizada.

    Basta pesquisar para verificar.

    Voltando ao Brasil, a nossa previdencia social não é deficitaria ela tem, é, um problema com os aposentados rurais que não contribuiram, e se eles não contribuíram, como dizem os economistas e nisso eu concordo: para cada despesa tem que haver a respectiva receita.

    Caso essas aposentadorias que não tiveram a contra-partida da contribuição sejam assumidas pelo Tesouro Nacional (impostos), o que é o certo, a nossa previdencia social terá um belo superavit.

    Veja o link abaixo.

    http://www.mpas.gov.br/arquivos/office/4_110131-150348-692.ppt

    E a previdencia ainda paga auxilio desemprego(muito justo) mas isso não deveria ser despesa de previdencia. Dizem que já pagou até juros da dívida pública !

    A previdencia privada está sendo, de forma artificial, incentivada(forçada) devido ao fator previdenciario que diminui a aposentadoria, aí o cidadão corre para ela.

    ps. Também é muito justo as aposentadorias dos trabalhadores rurais.

    Deixem a nossa Constituição em paz, hoje está difícil de saber o que vale e o que não vale devido a quantidade de emendas. O sujeito lê uma EC e aí nos remete para outra e dessa outra vem uma obs. de acordo com o art. tal da lei tal…..

    Voltando a Lei da Previdencia social para 1998, quando ainda não tinha reforma e a nossa previdencia tendo só as suas despesas “previdenciarias” e todas as receitas de direito e passando as aposentadorias rurais para o Tesouro a NOSSA PREVIDENCIA NÃO QUEBRA.

  • nilton vieira garcia · 21 de novembro de 2011 às 9:08

    Concordo plenamente. Substituir o fator previdenciario por outro fator(Incentivo, que seria menor perverso.
    Solução para a substituição do fator previdenciario tem.Basta que nossos governantes tenham coragem para realizar estas mudanças..

  • Carlos Roberto · 23 de novembro de 2011 às 8:49

    Concordo com o autor, então vamos começar cortando:
    -Aposentadoria de ex-governadores que aposentam com 4 anos de trabalho.
    -Aposentadoria de juizes que foram apenados por improvidade na função – que têm como pena a aposentadoria compulsória.
    -Aposentadoria de filhas de ex- funcionários e que já nascem aposentadas.Legal néhhh!!!Eu conheço uma nunca produziu um prego na vida !!! e nós pagamos a aposentadoria dela e ela so tém 28 anos!!!
    -Aposentadoria de funcionarios públicos que aposentam com o salário integral e que respondem por 90% do déficit da previdência ( em torno de 40 bilho~es anuais)
    -Vamos cortar os subsídios dados no plano industrial para combater os produtos Chineses com a redução da alicota da empresas de 20% para 2% o valor da contribuição ao INSS.
    -Vamos passar para a união as despesas com assistencialismo que saem do caixa da previdência ( em torno de 15 bilhôes) etc..etc…etc..
    Aí então feito isso podemos até considerar cortar a aposentadoria do único setor da previdência que é superavitária que são os trabaladores que contribuem pela iniciativa privada, pessoas como esse idiota que escreve aqui agora!!!!!!!

    Aposentadoria

  • Jorge Moacyr, Florianópolis. · 23 de novembro de 2011 às 10:43

    REF. PREVIDÊNCIA SOCIAL.

    Caso o STF seja favorável a “desaposentação”, como ficariam os que adiaram a aposentadoria?
    Por outro lado, também não seria justo desconsiderar as contribuições feitas pós aposentadoria.

    Parece que a solução está mesmo na substituição do Fator Previdenciário pelo *Fator Incentivo e aumento real aos já aposentados.
    Atende as necessidades da previdência sem ferir as expectativas dos segurados, e oferece aos contribuintes a possibilidade de melhorar a aposentadoria sem precisar aposentar-se e continuar trabalhando.

    *facultativo aos que completam o tempo de contribuição e desejarem postergar a aposentadoria, recebendo por isto um bônus para cada ano a mais de contribuição.

  • Ary · 22 de novembro de 2012 às 7:26

    A nossa previdência é muito boazinha, o que mais me irrita são mulheres jovens seduzindo velhos de 70 anos, com segundas intenções eu tenho 63 anos e não ganho muito, uns 3 mil reais, me considero muito feio, sou separado, mas a mulherada toda estão me cortejando, tudo por causa que elas querem ser pensionistas, recebi 5 propostas de “namoro” eu também conheço várias mulheres que fazem um acordo fingindo casamento, sem nunca ter contato carnal, infelizmente a nossa lei permite isto, pra mim este é depois do déficit público a principal causa da quebra do INSS, as nossas leis são loucas. Estamos num país pobre de baixa renda per capita, não tem como pagar estes benefícios.

Responder

<<

>>

Theme Design by devolux.nh2.me