Blog do Follador – O Cara da Previdência

nov/11

22

O peso dos casamentos

As mulheres somente recordam dos homens que as fizeram rir; os homens somente das mulheres que os fizeram chorar.

Desde o início dos tempos, a relação homem/mulher é um tema complexo. E a união entre eles, no instituto do casamento, aquele vaso de cristal a ser cuidado diariamente.

Um amigo meu diz que o fardo do casamento é tão grande que precisa de dois para carregá-lo.

Olha, não é fácil manter-se casado hoje, com as múltiplas atividades do casal, as preocupações com filhos, o estresse da competitividade profissional e os desencontros.

Por isso, lamentavelmente, são tantas as uniões desfeitas. E as novas, normalmente, são com pessoas bem mais jovens, o que, para a previdência social é um ônus.

Vejam um segurado na faixa dos 50 anos. Separa-se e casa com companheira 15 anos mais nova. Não estava na conta do INSS, mas se ele falecer, de acordo com as tábuas de sobrevida, a viúva herdaria uma pensão por quinze anos a mais do que inicialmente previsto.

Para evitar isso, nos fundos de pensão que criei estabeleci uma jóia ou multa. Quer casar novamente com alguém muito mais jovem, case, mas vai ter que contribuir com a diferença para anos extras de pensão. Ou o valor desta vai diminuir.

Parece justo, não? Pois, no INSS não tem essa regra.

Nenhuma tag

2 comentários

  • Carlos · 22 de novembro de 2011 às 18:49

    É justo.

    Mas na “Reforma da Previdência” eles não vão querer só isso.
    Já lí que qualquer viúva ou viúvo mesmo tendo vivido uma vida inteira juntos a pensão será reduzida para 70%.
    E coisas do tipo: Não poderá receber pensão e aposentadoria ao mesmo tempo terá que haver uma opção. Isso é um absurdo.

    Deve ter muita gente dando palpite nesta reforma e tentar colocar alguma idéia nela e depois querer aparecer, pô essa idéia foi minha e tá lá.

    Quanto as tábuas de sobrevida; não é muito justo essa média de expectativa de vida pois se a média são 70 anos tem milhões que vivem só até os 60 anos.

    70 anos é apenas a média.

    Trocando em miúdos: se a metade vive até 80 e a outra metade até 60, a média é 70.

    Então teria que dar um bônus para a viúva deste idoso que só viveu até 60 anos. Não é justo ?

  • Carlos · 22 de novembro de 2011 às 19:04

    Os recursos da Previdencia Social são usados ou foram usados para outros fins, não foram usados só para benefícios previdenciários. E alguns benefícios previdenciários não tiveram a contra-partida da contribuição. Não é preciso dar nenhum exemplo.

    Então, comparando fundo de pensão com a previdencia social.

    Caso o fundo de pensão comece a pagar beneficio a quem não contribuiu, o patrocinador use recursos do fundo para outros fins e uma parte dos associados pare de contribuir. Este fundo de pensão vai passar por dificuldades.

    Mas se parar de pagar benefícios a quem não contribuiu, o patrocinador capitalizar o fundo com o que ele utilizou, e os associados que pararam de pagar retornem o pagamento(compare esses associados que pararam de contribuir com os devedores da previdencia social).

    Então este fundo de pensão vai ter uma tremenda saúde financeira, assim também aconteceria com a nossa previdencia social.

Responder

<<

>>

Theme Design by devolux.nh2.me