Blog do Follador – O Cara da Previdência

nov/11

18

A velhice não é igual

Um amigo de 60 anos pergunta se deve ou não parar, já que teria uma boa aposentadoria. Olha, a palavra parar tem a ver com fim, término, ocaso e eu não gosto dela.

Vejam, o astronauta John Glenn Jr. foi pela segunda vez ao espaço aos 77 anos, Jeanette Polmon é modelo e fotografa de lingerie aos 65 anos, Koji Teramito é campeão de patinação aos 70, Pelé, profissionalmente, viaja o mundo aos 71 anos e Niemeyer ainda trabalha com 103. Eles nunca vão parar.

Existem alguns mitos que devem ser derrubados. Primeiro: que todos envelhecem igual. Mentira. O envelhecimento depende de fatores biológicos sim, mas muito da educação, do estilo de vida e, principalmente, da cabeça. Uns envelhecem, outros amadurecem.

Outro mito: que o idoso é improdutivo, inútil. Mentira. Dê-lhe oportunidades, que sua experiência, no mínimo, evitará erros brutais, pois ele já viu esse filme.

Terceiro mito: que os idosos sabem menos que os jovens de hoje. Não é verdade. Estes têm mais conhecimento e dominam novas tecnologias. Mas isso não significa mais sabedoria, a qual vem da percepção, da intuição, da vida vivida, do conhecimento, não só adquirido, mas também aplicado no cotidiano de décadas de acertos e erros experimentados.

Enfim, para mim, viver muito depende de nunca parar.

Nenhuma tag

3 comentários

  • Jorge Moacyr, Florianópolis. · 18 de novembro de 2011 às 14:38

    Renato,

    A título de informação, para todos os visitantes do Blog:

    Quais são os regimes de previdência pública existentes no Brasil?
    Quais são os pré-requisitos para se aposentar em cada um dêles?

    Obrigado abs, Jorge Moacyr.

  • Carlos · 20 de novembro de 2011 às 19:05

    Eu concordo que enquanto pudermos trabalhar em uma atividade prazerosa não devemos parar.

    Mas existe um contrato que está sendo quebrado, após 35 anos de contribuição temos o direito de começar a receber um valor mensal de acordo com nossa contribuição, ou não temos ?

    Quando se fala que a média de vida do brasileiro gira em torno de 70 anos, o raciocinio tem que ser o seguinte: Se um idoso vive até 80 e outro até 60 anos, qual a média ? 70 anos. Então tem muita gente vivendo só até 60 anos, pois média é média, é apenas uma “expectativa” a vida até os 70 anos aqui no Brasil.

    Então essas pessoas que viverão até só 60 anos contribuiram para que? Se antes de 60 anos tem o fator previdenciario.

    A reforma da previdencia a curto e médio prazos vai trazer 2 problemas.

    1- As pessoas vão continuar trabalhando e deixando de abrir vagas para os jovens.

    2- Perder o emprego com mais de 40 anos já é complicado, imagina perder o emprego com mais de 50 anos e a aposentadoria estando longe.

  • Jorge Moacyr, Florianópolis. · 21 de novembro de 2011 às 17:15

    O Fator Previdenciário para os que possuem 35 anos de contribuição e 60 de idade é 0,87 e incide somente nas aposentadorias dos trabalhadores do regime geral.
    Isto não me parece justo.

    Portanto, gostaria de apresentar algumas sugestões de alternativas ao Fator Previdenciário.

    Alternativa A)
    Substituição do Fator Previdenciário pelo *Fator Incentivo.
    *facultativo aos que completam o tempo de contribuição e desejarem postergar a aposentadoria, recebendo por isto um bônus para cada ano a mais de contribuição.

    Alternativa B)
    Substituição do Fator Previdenciário pela Soma da Idade com o Tempo de Contribuição:
    80M/85H = Fator 0,90
    85M/90H = Fator 1,00
    90M/95H = Fator 1,10

Responder

<<

>>

Theme Design by devolux.nh2.me