Archive for novembro, 2010

Executiva estadual vai pedir revisão do desligamento do prefeito de Jaguariúna

segunda-feira, novembro 29th, 2010

O presidente do Diretório Estadual do PPS, Davi Zaia, disse que vai recorrer da decisão do partido que desligou o prefeito de Jaguariúna, Gustavo Reis, por ter apoiado a presidente eleita Dilma Rousseff nas eleições deste ano. Diferentemente da legenda que apoiou o tucano José Serra, Reis fez a opção pela petista.

Zaia, que estava na reunião da executiva nacional,neste fim de semana, defendeu posição contrária. “Eu fui contra. Durante a campanha eleitoral, o Gustavo se licenciou do partido para fazer a campanha. Vou recorrer para tentar reverter esse desligamento”, disse ele, que também é deputado estadual. “A posição do partido apenas reforça o desrespeito do governo federal que pressiona os prefeitos à apoiá-lo em razão dos recursos federais. Não é nenhuma novidade vermos os prefeitos passando com o pires nas mãos em Brasília”, complementou.

Mandato

O presidente estadual disse ainda que o partido não irá impetrar nenhum pedido para reaver o mandato de Reis. “Não tem razões para isso. Vai pedir e passar para o PT (Em Jaguariúna, o cargo é ocupado pela legenda petista)? Foi uma precipitação do PPS”, ressaltou.

PPS: decisão unilateral

segunda-feira, novembro 29th, 2010

O prefeito de Jaguariúna, cidade da RMC (Região Metropolitana de Campinas), Gustavo Reis (PPS), disse que a decisão do partido – de desligá-lo por ter apoiado a presidente eleita Dilma Rousseff e não o tucano José Serra (PSDB) como decidido pelo partido, foi “unilateral e não houve qualquer comunicado oficial por parte dos dirigentes da legenda.”

Segundo Gustavo, o partido não assegurou a ele o direito constitucional de ampla defesa. Em nota oficial, o prefeito disse que a legenda não o informou sobre instauração de processo disciplinar. “Foi uma decisão arbitrária do partido”, disse Reis à blogueira.

PPS expulsa prefeito de Jaguariúna

segunda-feira, novembro 29th, 2010

O apoio do prefeito de Jaguariúna, Gustavo Reis, à presidente eleita Dilma Rousseff, custou caro. O PPS, que apoiou José Serra (PSDB) nas eleições presidenciais, expulsou Reis do seu quadro político. A justificativa é a de que a queda é resultado de um ”amplo processo de reestruturação”.

Para o partido, o prefeito cometeu atos graves por ter desrespeitado uma decisão do comando nacional da sigla.

A partir do processo de expulsão o próximo passo é o PPS pedir, por meio da Justiça, o mandato de Reis por infidelidade partidária.

O prefeito de Jaguariúna, eleito com quase 10 mil votos, pode ser apenas o primeiro a ser expulso. Ele ainda não comentou a decisão do PPS.

Hélio veta inclusão de aula de formação política nas escolas

segunda-feira, novembro 29th, 2010

O prefeito de Campinas, Hélio de Oliveira Santos (PDT), vetou o projeto de inclusão no currículo das escolas o curso de formação política como pretendia o vereador Sebá Torres (PSB).

Na justificativa o pedetista disse que o tema já é debatido nas aulas de História e Geografia. E além disso não é possível alterar o currículo sem levar em consideração a legislação municipal sobre a política educacional.

Sebá disse que o projeto tinha o objetivo de promover nos jovens o desejo de participar da vida política de seu país. Segundo ele, há um desinteresse grande sobre esse assunto e o despertamento poderia levantar novos líderes.

O mérito do projeto pode até ser bom mas vamos combinar que o desintesse do cidadão é reflexo do comportamento dos próprios políticos. Já comentei aqui n depoimento do ex-presidente da Sanasa, Luiz de Aquino, apareceram poucos vereadores para acompanhar a principal oitiva da empresa que está sendo investigada pelo Ministério Público por suspeita de fraudes em corrupção.  Ou seja, o exemplo da própria Câmara de Campinas está muito longe de despertar nos estudantes desejo de querer participar mais da vida política da cidade.

O veto poderá ainda ser derrubado no Plenário, mas há poucas chances…

Desinteresse geral

sábado, novembro 27th, 2010

Eu não sei se os vereadores de Campinas são descomprometidos com as questões importantes da cidade ou se eles não acreditam na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga supostas fraudes na Sanasa. O Ministério Público de São Paulo desbaratou, em Setembro deste ano, uma quadrilha especializada em fraudar licitações públicas em prefeituras e empresas públicas do país.

Falo isso porque ontem (sexta-feira, dia 26) foi ouvida a principal testemunha do caso, o ex-presidente da Sanasa, Luiz Castrillon de Aquino, que inclusive, admtiu que se reuniu com o líder da quadrilha, José Carlos Cêpera, na Sanasa. Claro que Aquino disse que se reuniu com ele assim como fez com outros presidentes de outras empresas. Mas não explicou as razões de ter recebido R$ 100 mil em sua conta de Emerson de Almeida – lobista ligado ao grupo. Sob a justificativa de que o caso corre em segredo de justiça na Promotoria, Aquino afirmou apenas que o dinheiro foi depositado às 10h e às 13h foi devolvido. Apesar de ter feito um BO, Aquino não soube explicar como Emerson obteve as informações sobre sua conta corrente.

Mas voltando aos vereadores, apesar de o depoimento ser importante dava para contar nos dedos os legisladores presentes. Além dos membros da Comissão – Sérgio Benassi (que não fez nenhuma pergunta para Aquino), Artur Orsi (PSDB), Vicente de Carvalho (PV), Professor Alberto (DEM), Sebastião dos Santos (PMDB), que saiu antes de a reunião terminar porque tinha uma consulta, Canário (PT) e Jorge Schneider (PTB) -, estavam lá Luis Yabiku (PDT), Luiz Cirilo (PPS), Politizador (PMN). Passaram pelo Plenário Tadeu Marcos Ferreira (PTB) e Élcio Batista (PSB).

Os demais nem deram as caras. Uma vergonha, já que as denúncias envolvem uma das empresas públicas mais importantes da cidade. E não adianta falar que apenas os membros da comissão deveriam estar presentes. São esses ausentes que terão de votar o parecer do relator Sebastião dos Santos (PMDB). A impressão que dá é como diz o ditado tudo foi “jogado para a galera”.

« Mais recentesMais antigos »