Vice forte

Foi só a sua candidatura à Presidência da Câmara de Vereadores de Campinas perder um pouco de brilho, na semana passada, que Pedro Serafim (PDT) agiu rápido e buscou aliados fortes. E como não é bobo nem nada, ele ofereceu a vice-Presidência para o vereador Thiago Ferrari (PMDB), genro do prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT).
Jogada de mestre
O convite já surtiu efeito. A candidatura ganhou musculatura política. Serafim, dizem nos bastidores, ganhou o aval da primeira-dama e chefe de gabinete, Rosely Santos, a mulher mais poderosa do Palácio dos Jequitibás – sede do governo municipal.
Confirmado
Thiago confirmou o convite, mas disse que tudo está sendo negociado. E o responsável pela condução do processo é o vereador Sebastião dos Santos (PMDB), também candidato, mas que, ao que parece, tende a fazer uma aliança com Serafim.
Reestruturação
O candidato a vice ainda não sentou na cadeira, mas já adianta que, se eleito, fará uma grande reestruturação. O que isso significa? Ele não abriu o bico. A única certeza é a de que o futuro vice terá muito trabalho pela frente, já que o pedetista é quase uma figura ausente da Câmara de Campinas.
Muito caro
O apoio do prefeito de Jagurariúna, Gustavo Reis (PPS), à presidente eleita, Dilma Rousseff, custou caro. Ele acabou sendo expulso do partido. O PPS apoiou o tucano José Serra nas eleições. Para o partido, o prefeito cometeu atos graves por ter desrespeitado uma decisão do comando nacional da sigla.

Comentários

Spam protection by WP Captcha-Free