Câmara de Campinas está sem internet

20 de outubro de 2014

A Câmara de Vereadores de Campinas está sem sem internet e, com isso, quem assiste às sessões ordinárias pela Web estão prejudicados. De acordo com a assessoria de imprensa, ocorreu um curto-circuito no servidor da Câmara. Técnicos da Vivo estão no local, mas não há previsão do restabelecimento dos serviços.

Americana tem troca de poder

20 de outubro de 2014

O presidente da Câmara de Vereadores de Americana, Paulo Chocolate (PSC), toma posse hoje como prefeito interino de Americana, às 16h, desta segunda-feira. Ele entra no lugar de Diego De Nadai (PSDB), prefeito que teve o mandato cassado pela Justiça Eleitoral por irregularidades na prestação de campanha eleitoral de 2012. Há suspeita de uso de caixa 2 no pleito. Assim como o tucano, o seu vice, Seme Calil (PSB), também teve o mandato cassado.

Na última terça-feira, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) rejeitou o recurso de De Nadai. A decisão será publicada na segunda-feira (20/10). Porém, se permanecer a decisão da cassação do mandato, o município terá de convocar novas eleições, já que o tucano obteve mais de 50% dos votos válidos nas eleições de 2012. A assessoria do prefeito cassado disse que vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal.

 

Em nota, o prefeito disse que “O PT só sabe ganhar no tapetão. E agora, por enquanto, o tapetão é deles. Mas daqui a 10 dias, o Brasil será libertado dessa ditadura. Não há, em todo o processo, nenhuma prova material de caixa 2. Se saio, é por causa de uma revista que apresentava minhas mais de 200 obras realizadas em quatro anos de governo.”

Cassação

O tucano e seu vice foram cassados porque a Justiça Eleitoral avaliou que as 75 mil revistas utilizadas na campanha tiveram os valores declarados abaixo do custo real – o que configuraria uso de caixa 2.

Prefeitura atrai 25,8% a mais de verba no Refis

20 de outubro de 2014

A Prefeitura de Campinas conseguiu renegociar R$ 109,5 milhões com devedores de impostos e taxas municipais dentro do Refis (Programa de Regularização Fiscal de Campinas), que fica em vigor até o próximo dia 30.

O valor, que corresponde 25,8% a mais do que a meta estimada, que era receber R$ 87 milhões em dívidas atrasadas, refere-se às guias emitidas pela Administração aos contribuintes e a prefeitura só considera acordo finalizado quando os boletos – à vista ou a primeira parcela – forem pagos no banco.

Dos 109,5 milhões negociados, já entraram para os cofres públicos até a última sexta-feira R$ 28,7 milhões.

De acordo com o Executivo, mais de 61,7 mil pessoas procuraram os postos de atendimento da prefeitura solicitando informações ou emitindo guias para o pagamento de tributos.

O programa dá desconto de até 90% em juros e multas para contribuintes que optarem pelo pagamento à vista.

Há ainda a opção por pagamento parcelado. Neste caso, a redução varia de acordo com o número de parcelas: 80% no caso de três parcelas; de quatro a seis parcelas, redução de 70%; de sete a 12 parcelas, desconto de 50%; de 13 a 24 parcelas, 30%, acrescidos juros compensatórios de 5% ao ano; de 25 a 60 parcelas, 15% de desconto, também acrescidos de 5% ao ano.

Vale lembrar que os descontos se aplicam para os juros e multas. O valor principal da dívida e a correção monetária serão mantidos.

Marcos Alexio, diretor do DCCA (Departamento de Cobrança e Controle de Arrecadação), disse que só no Porta Aberta são cerca de 600 atendimentos por dia e a tendência é de que a procura aumente com a proximidade do fim do prazo.

“As pessoas deixam para nos procurar nos últimos dias. O que sempre alertamos é que venham o quanto antes para não terem que enfrentar filas depois”, explicou.

Para alertar o contribuinte sobre o programa, a Secretaria de Finanças também está enviando cartas de cobranças para eles.

Os documentos contêm o histórico da dívida – valor do débito, descontos e valor total – e o código de barras para pagamento à vista, já com o desconto calculado. Ainda segundo a prefeitura, outra ação é a cobrança judicial, com inclusão do CPF  do devedor no Serasa.

Debate do SBT é marcado por bate-boca entre candidatos

16 de outubro de 2014

O segundo enfrentamento entre Dilma Roussef (PT), candidata à reeleição, e o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, nesta quinta-feira, no SBT,  foi marcado por bate-boca entre o tucano e a petista. Quase nada de proposta e muitos ataques, sendo que os temas que permearam o confronto foi corrupção, segurança pública e programas sociais. No fim do encontro, Dilma teve uma queda de pressão e passou mal. O encontro transmitido pelo SBT também foi organizado pelo portal UOL e pela rádio Jovem Pan.

Neste encontro as agressões verbais foram mais duras. Na terça, durante o confronto na Bandeirantes, a petista bateu contra o tucano, que ficou acuado. Desta vez, ele reagiu e se recusou a dar a outra face à candidata do PT.

A palavra de ordem do tucano foi “mente”. Aécio disse ainda em vários momentos que a campanha de Dilma produz ofensas contra os adversários. A petista rebatia e disse que “quem mente é o tucano.”

O nepotismo foi colocado dentro do debate. A petista questionou o fato de a irmã do tucano ter trabalhado no governo de Minas Gerais. Também elencou outros parentes. No caso da irmã do tucano disse que ela era responsável pela publicidade. A petista já tinha feito a mesma acusação no debate da Band. Aécio contraatacou e disse que o irmão de Dilma, Igor Rousseff foi nomeado pelo prefeito de BH Fernando Pimentel (PT), mas nunca trabalhou. Segundo ele, a sua trabalhava e o de Dilma, não.

Quanto à corrupção, Dilma diz que o seu governo investiga tanto que as irregularidades da Petrobras só vieram à público por causa das apurações. Coisa que o PSDB não faz. Esconde tudo debaixo do tapete, disse a petista. “Onde estão os corruptos da compra de votos para a reeleição, do metrô de São Paulo, do Sivam, da privataria tucana? Todos soltos”, disse, em referência a casos que envolveram tucanos.

Aécio não deixou sem resposta. Disse que nada foi provado e continuou: “Onde estão os corruptos do seu partido? Estão presos”, disse, em referência a petistas condenados no julgamento do mensalão. “Não é possível que a senhora não se sinta responsável. Ou foi conivente ou incompetente”, declarou.

O momento mais tenso para o tucano foi quando Dilma o questionou sobre a importância de se realizar o teste do bafômetro. O tucano, sem saída, reconheceu que durante uma bliz da Lei Seca estava com a carteira vencida e que se recusou a fazer o exame. “Me arrependi disso”. A petista, por sua vez, respondeu: “Eu não dirijo sob efeito de álcool ou droga.”. Neste momento, o tucano reagiu e disse para a presidente ser correta e séria. “Mentir e insinuar ofensas como essa é indigno para uma presidente da República.”

Temas como educação, segurança e programas sociais entraram no debate – mas apenas como pano de fundo para serem utilizados como munição de ataques a ambos os candidatos.

O saldo final? Hematomas para ambos os candidatos e um debate vazio de propostas e muito, mas muito nervosismo por parte do tucano e da petista.

 

Vinhedo decreta estado de emergência por falta de água

16 de outubro de 2014

A Prefeitura de Vinhedo decretou nesta quinta-feira (16/10) estado de emergência por causa da falta de água na cidade.

A medida permitirá que a Administração municipal utilize água de lagoas e nascentes que estejam localizadas em propriedades privadas. De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura, a água desses mananciais já está sendo analisada em laboratórios para verificar se o produto é potável para consumo. Se o resultado for positivo, a água será distribuído à população.

O Executivo também tomou outras medidas restritivas para amenizar o desabastecimento na cidade. Entre elas estão, por exemplo, a suspensão, por 30 dias, das atividades em piscinas públicas.

Além disso, determinou a instalação de redutores de evasão de água em todas as escolas.

A cidade adotou o racionamento no final de 2013.

 

Mais antigos »